Revista da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo

Online first

Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo - Online first: 2021-12-13
Original article

Barreiro J, Santos MJ, Fernandes D

Abstract

Background: An association between hepatitis C virus (HCV) infection and type 2 diabetes mellitus (DM2) or insulin resistance has been reported. Curing HCV chronic infection with interferon is associated with an improvement in various hepatic and metabolic parameters. The treatment of HCV infection has recently been revolutionized by the development of direct-acting antiviral agents (AADs), which have a high probability of sustained HCV elimination. The main aim of this study is to analyze the impact of DAA treatment on glucose metabolism in patients with chronic HCV infection and DM2/pre-diabetes. Materials and methods: This study included 138 patients who underwent virus eradication with DAA between 1/1/2015 and 31/8/2019. We evaluated data for sample characterization, including HCV infection, liver and metabolic status related data. Results: 54 patients (39.1%) had impaired glucose metabolism. Following viral clearance, there was a significant improvement in liver fibrosis (p=0.001), significant reduction in ALT (p<0.001), AST (p<0.001) and GGT (p 0.001) and fasting glucose (p <0.001). Initial fibrosis was negatively correlated with fasting glucose variation after treatment (p=0.032). We could not find any predictors of improved glycemic control. Conclusion: In this study, there was an improvement in glycemic control after the cure of HCV infection, as well as normalization of analytical liver parameters and regression of hepatic fibrosis. Prospective studies should be performed to assess the sustainability of these improvements and identify possible predictors of improved metabolic control.

Portuguese abstract

Introdução: A literatura reporta uma associação entre a infeção crónica por vírus da hepatite C (VHC) e diabetes mellitus tipo 2 (DM2) ou insulinorresistência. Curar a infeção crónica por VHC com interferão associa-se a melhoria de várias alterações hepáticas e metabólicas. Recentemente, o tratamento da infeção por VHC foi revolucionado pelo desenvolvimento de agentes antivíricos de ação direta (AAD), que possuem elevada probabilidade de eliminação sustentada do vírus. O principal objetivo deste trabalho é analisar o impacto do tratamento com AAD no metabolismo da glicose em doentes com infeção crónica por VHC e DM2/pré-diabetes. Materiais e métodos: incluímos 138 doentes que realizaram erradicação vírica com AAD entre 1/1/2015 e 31/8/2019. Recolhemos variáveis para caracterização da amostra, relativas à infeção por VHC, status hepático e status metabólico. Resultados: 54 doentes (39.1%) tinham alterações do metabolismo da glicose. Após a eliminação vírica, verificou-se uma melhoria significativa da fibrose hepática (p=0.001), diminuição significativa da ALT (p<0.001), AST (p<0.001) e GGT (p=0.001) e diminuição significativa da glicemia em jejum (p<0.001). A fibrose inicial correlacionou-se significativamente e de forma negativa com a variação da glicemia em jejum após o tratamento (p=0.032). Não foi possível encontrar preditores de melhoria do controlo glicémico. Conclusão: neste estudo, verificámos melhoria do controlo glicémico após a cura da infeção por VHC, assim como normalização dos parâmetros hepáticos analíticos e regressão da fibrose hepática. Estudos prospetivos devem ser realizados para averiguar a sustentabilidade desta resposta e identificar possíveis preditores da melhoria do controlo metabólico destes doentes.