Revista da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo

Online first

Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo - Online first: 2018-10-24
Original article

Referral of type 2 diabetes mellitus patients to the endocrinology appointment of Centro Hospitalar do Porto

Ferreira A

Abstract

Introduction: In Portugal, patients with type 2 diabetes mellitus are mostly followed by family physicians. Depending on complexity, hospital referral may be necessary. Available referral criteria include HbA1c>=8.0% and 'any situation regarded as necessary'. There are no Portuguese studies about the referral of these patients. Study objectives are to characterize type 2 diabetes mellitus referrals to Centro Hospitalar do Porto, identify motives for referral and evaluate the quality of referral letters. Methods: Cross-sectional study (census) of type 2 diabetes mellitus referrals to endocrinology (Centro Hospitalar do Porto) in 2015. Data were collected retrospectively in the platform ‘Consulta a Tempo e Horas’ and descriptive statistics measures were determined. Studied variables were sex, age, origin and result of referrals, waiting time for appointment, HbA1c, insulin therapy, referral motives (categorization developed by the author) and the quality of referral letters (according to published international criteria). Results: 135 referrals were studied, the majority of the patients were women, averaging 65,3 years old, coming from Porto. Most of the referrals were accepted and the waiting time for appointment was 35,1 days. Mean HbA1c was 9,7% and 71,1% of patients were insulinized. An average of 1,6 motives per referral were identified, with 'metabolic instability' being the most frequent (55,6%). The quality of the majority of the letters (68,9%) was 'acceptable'. Discussion: Most patients with type 2 diabetes mellitus are referred because of 'metabolic instability', they are already insulinized and with HbA1c higher than indicated in previous criteria. In other studies, the most frequent reasons were severe renal insufficiency, difficulty in insulin therapy and reevaluation. As in other studies, the quality of referral letters was acceptable. The following are limitations of the study: participants being from a single hospital, retrospective collection of data, a posteriori categorization of motives and possible biases in categorization and the evaluation of the quality of the referral letters. The following strengths were identified: being an exploratory study about a frequent problem, being a census of 1 year and reaching 135 patients. Further studies are needed to validate the proposed categorization and to define criteria for referrals.

Portuguese abstract

Introdução: Em Portugal, os doentes com diabetes mellitus tipo 2 são maioritariamente seguidos pela Medicina Geral e Familiar. Dependendo da sua complexidade, pode ser necessária a referenciação hospitalar. Os critérios de referenciação disponíveis incluem doentes com HbA1c>=8,0% e ‘qualquer situação que se considere necessária’. Não se encontram estudos portugueses sobre a referenciação destes doentes. São objetivos do estudo caracterizar as referenciações por diabetes mellitus tipo 2 ao Centro Hospitalar do Porto, identificar motivos de referenciação e avaliar a qualidade das cartas de referenciação. Métodos: Estudo transversal (censo) das referenciações por diabetes mellitus tipo 2 à consulta de endocrinologia do Centro Hospitalar do Porto em 2015. Os dados foram colhidos retrospetivamente no portal Consulta a Tempo e Horas e determinaram-se as medidas de estatística descritiva. As variáveis estudadas foram sexo, idade, origem e resultado da referenciação, tempo de espera para consulta, HbA1c, insulinoterapia, motivos de referenciação (categorização desenvolvida pela autora) e qualidade da carta de referenciação (segundo critérios internacionais publicados). Resultados: Nas 135 referenciações estudadas a maioria dos doentes eram mulheres, em média com 65,3 anos, provenientes do Porto. A maioria das referenciações foi aceite e o tempo de espera para consulta foi 35,1 dias. A HbA1c média foi 9,7% e 71,1% dos doentes estava insulinizado. Identificou-se em média 1,6 motivos por referenciação, sendo ‘instabilidade metabólica’ o mais frequente (55,6%). A qualidade da maioria das cartas (68,9%) foi considerada ‘aceitável’. Discussão: A maioria dos doentes com diabetes mellitus tipo 2 é referenciada por ‘instabilidade metabólica’, já insulinizados e com HbA1c superior à indicada nos critérios. Noutros estudos os motivos mais frequentes foram insuficiência renal grave, dificuldade na insulinoterapia e reavaliação. Como noutros estudos, a qualidade das cartas de referenciação foi aceitável. São limitações do estudo a população ser a de um único hospital, a colheita retrospetiva de dados, a categorização dos motivos a posteriori e possíveis vieses nesta categorização e na avaliação da qualidade das cartas. São pontos fortes ser um estudo exploratório sobre um problema frequente, a população ser um censo de 1 ano e atingir 135 doentes. São necessários estudos que validem a categorização proposta e ajudem a definir